Alferpac é uma empresa de engenharia e de alta tecnologia

Não queremos ser apenas uma empresa de execução de projetos, queremos ser uma empresa de engenharia e de alta tecnologia (I&D)”, refere Miguel Alves, administrador da Alferpac, uma empresa adquirida pelo Grupo Auto Júlio, no início do ano.

A empresa conta com uma equipa de 20 engenheiros (cerca de um quarto do número total de funcionários) e tem clientes como a EDP Comercial, a EPAL e a Vodafone, entre outras empresas.

Em 2014 foi criado um Departamento de Investigação e Desenvolvimento para trabalhar a área da Eficiência Energética.

O objetivo é que a Alferpac passe a ser vista como umas das grandes empresas nacionais nesta área.

A longo prazo, um dos principais projetos a desenvolver é na produção fotovoltaica com armazenamento de energia. Isso permite que se armazene durante o dia, para se utilizar a energia à noite.

Estão também a terminar um analisador de energia que permite perceber onde se pode poupar em energia elétrica. O primeiro será para uso interno, mas no futuro será desenvolvido outro para ser lançado no mercado. Existem já equipamentos deste género, mas a Alferpac está a desenvolver um analisador de energia com algumas especificidades, nomeadamente com capacidade para reagir automaticamente em determinadas situações.  A AJ Tec (empresa que faz parte do Grupo Auto Júlio) está a desenvolver uma aplicação para “smartphone” para este produto.

Trabalham também com clientes particulares ao nível das micro-produções ou Produção para Autoconsumo (UPAC) (até seis painéis). Em Abril, estabeleceram um acordo com a EDP Comercial e durante três anos serão a empresa designada para a instalação destes sistemas nos distritos de Lisboa e Setúbal.

Os responsáveis da Alferpac querem ter uma palavra no que concerne à instalações de postos de carregamento para os veículos de motorização elétrica, tendo também em vista um grande crescimento que se prevê nas vendas destes veículos. Foi esta empresa que montou os dois primeiros postos de carregamento rápido da EDP Comercial (em Aveiro e Vila Real), que fazem parte da rede Mobi-e. Também aqui a pertença ao Grupo Auto Júlio será uma mais valia.

A empresa  foi criada em Alfeizerão, em 2002, e desde essa altura que mantém uma grande ligação com a EDP Comercial (que comercializa energia no mercado liberalizado). Essa relação tem sido profícua para ambas as empresas.

Com a Vodafone, são os responsáveis pela manutenção e auditorias das suas áreas mais críticas. Atualmente, por exemplo, a Alferpac está a remodelar a instalação elétrica e AVAC do principal Datacenter da Vodafone, em Alfragide.

Na relação com o parceiro Canas, que trabalha diretamente para a EDP Distribuição, são “subcontratados designados”, sendo responsáveis pelo piquete (24 horas e 365 dias por ano) e das obras da rede de três concelhos (Rio Maior, Bombarral e Cadaval).

Para além disso, têm vários clientes na indústria onde fazem todo o tipo de trabalhos, desde a montagem de PTs a quadros elétricos.

Uma das áreas onde a Alferpac pretende crescer mais é como Empresas de Serviços de Energia. “Nós queremos ser uma referência na área da Eficiência Energética”, salienta Luís Ventura, um dos administradores da Alferpac.

A Eficiência Energética é a otimização feita do consumo de energia e consegue-se através de um projeto de reformulação nas instalações, que pode levar à poupança de energia e de dinheiro. Isso consegue-se através da utilização de fotovoltaicas, geradores de velocidade, iluminação de LEDs e ar comprimido, entre outras soluções.

A Alferpac é umas das Empresas de Serviços de Energia (ESCO) para as empresas públicas nacionais. As ESCO são empresas que fazem um investimento na reformulação dos consumos energéticos (por exemplo, na iluminação pública) e durante um determinado período recebem uma parte do que se poupa.

É preciso entender o sistema a ser alterado a nível energético e desenhar um modelo dinâmico do seu consumo, para perceber se vale a pena fazer o investimento da sua reestruturação, de forma a que se amortize num período razoável. Uma medida é boa quando se paga a meio do final da sua vida útil. Quem faz o investimento tira benefício das poupanças, mas também partilha esses benefícios.

Esta é uma área ainda recente em Portugal, mas há metas para cumprir para o país reduzir a sua dependência energética.

Uma das motivações para a Alferpac se juntar ao Grupo Auto Júlio foi ganhar dimensão e estofo financeiro para permitir concorrerem com melhores condições aos concursos públicos para estes investimentos.

Comentários

Escreva um comentário

Os comentários são moderados