Grupo Auto Júlio aposta também nos carros de propulsão elétrica

Os carros de propulsão exclusivamente elétrica, são cada vez mais, uma opção a ter em conta na compra de uma nova viatura e o Grupo Auto Júlio está a acompanhar essa tendência.
A empresa tem sabido sempre antecipar as mudanças estruturais nos setores onde atua e as marcas que representa são pioneiras nas propostas de veículos elétricos.
De destacar que nas instalações do Grupo Auto Júlio em Leiria existe um Posto de Carregamento Rápido (PGR), o qual é muito utilizado, por exemplo, por quem faz a viagem entre Porto e Lisboa (ou vice-versa) num carro elétrico. Em 20 minutos é feito um carregamento rápido que lhes permite fazer a totalidade do percurso sem preocupações com a sua autonomia.
Os próximos anos serão pródigos em novidades e o crescimento do número de veículos elétricos a circular nas estradas será muito rápido, tendo em conta a necessidade de uma maior eficiência operacional, económica e ambiental.
Os grandes construtores mundiais de automóveis têm apostado cada vez mais nestes veículos, também por influência e pressão de vários países e instâncias internacionais, por questões como o aquecimento global, a qualidade do ar que respiramos e a dependência que existe dos combustíveis fosseis.
Na Alemanha, por exemplo, foi aprovada recentemente uma lei que prevê que até 2030 todos os novos carros novos registados no país deverão estar isentos de emissões de gases de estufa e outros poluentes. Outros países da União Europeia deverão também seguir esta tendência, seguindo indicações da União Europeia.
Estas decisões fazem com que haja uma maior evolução tecnológica ao nível das baterias (com tempos de carga menores, maior autonomia e maior potência) e em preços de venda mais competitivos.
Estes veículos têm também um menor custo por quilómetro do que os carros a combustão (os estudos referem cerca de um terço dos custos) e não precisam de manutenção frequente do motor (mudanças de óleo, etc).
Para mais, os custos de manutenção são menores, sem necessidade de manutenção frequente do motor, como realizar mudanças de óleo, por exemplo.
Conduzir um automóvel elétrico traz-nos também outra surpresa: sem peças móveis do motor e sem sistema de escape, a condução é mais silenciosa, suave e agradável do que um carro com motor de combustão.
2.250 euros para quem comprar um veículo elétrico
Para além destes aspetos, os portugueses devem também ter em conta as grandes poupanças, a vários níveis: incentivos fiscais, menos gastos com combustível e com a manutenção.
Em 2017, o Ministério do Ambiente, através do Fundo Ambiental, abriu as candidaturas ao incentivo pela introdução no consumo de veículos de baixas emissões, que atribuem 2.250 euros a quem adquira um veículo ligeiro 100% elétrico, novo, sem matrícula.
Pela primeira vez, para ter direito a este incentivo não será necessário o abate de um veículo em fim de vida. O prazo máximo para a apresentação das candidaturas é 30 de novembro de 2017.
São elegíveis para receber este incentivo pessoas singulares (um veículo) e pessoas coletivas, que podem receber os 2.250 euros na compra de até um máximo de cinco viaturas.
O formulário de candidatura pode ser obtido através da aplicação disponibilizada no site do Fundo Ambiental (www.fundoambiental.pt).
Mantêm-se os ainda benefícios fiscais dos anos anteriores: a compra de um veículo não inclui o Imposto Sobre Veículos e o Imposto Único de Circulação é mais baixo (entre 7,91 e 35,87 euros). 
Há ainda uma aposta no crescimento e renovação da rede de abastecimento pública (Mobi.E). Os condutores podem recarregar a partir das suas residências ou nesta rede de carregadores públicos.
Grupo Auto Júlio sempre na vanguarda
Em 2016 foram vendidos 756 carros elétricos, mais 17,2% do que em 2015, segundo os dados da Associação do Comércio Automóvel de Portugal.
A Nissan, a Mitsubishi e a Hyundai (representadas pelo Grupo Auto Júlio) têm várias propostas de viaturas elétricas, já consolidadas no setor automóvel.
No caso da Nissan, o Leaf tem sido o carro elétrico mais vendido em Portugal. A Nissan em Leiria, do Grupo Auto Júlio, foi a concessão que mais modelos destes vendeu no país (18 no total).
O modelo mais recente do Leaf tem uma autonomia de 250 km, com uma bateria de polímero de iões de lítio com 30 kWh em quase todas as versões (excepto Leaf Visia 24kWh).
A Nissan tem também uma van elétrica: a e-NV200. Este é um veículo ligeiro de transporte com propulsão elétrica que partilha a tecnologia do Nissan Leaf. Com uma capacidade de bateria de 24 kWh, esta van tem uma autonomia de 170 km.
O i-MiEV da Mitsubishi foi o primeiro veículo elétrico pronto para ser comercializado no mundo. Com uma autonomia de 150 km, o i-MiEV pode atingir os 130 km/h de velocidade máxima. As baterias em iões de lítio têm uma capacidade de 16 kWh.
Mais recentemente foi lançado o Hyundai IONIQ Elétrico, com uma bateria de polímero de iões de lítio com 28 kWh e uma autonomia máxima estimada de mais de 250 quilómetros.
Os interessados podem marcar um “test drive” para estas viaturas nos concessionários do Grupo Auto Júlio, através do número de apoio ao cliente: 707 202 425.

Comentários

Escreva um comentário

Os comentários são moderados