O icónico Volvo 164 celebra 50 anos!

O Volvo 164 está a comemorar o seu 50º Aniversário.

A sua história começa no final dos anos 50, numa altura em que nos planos da Volvo já se encontrava a ideia de construir um conceito de modelo mais exclusivo e com um design mais largo. A marca sueca planeava apresentar um modelo V8 potente com grelha vertical.

Este projeto não se viria a concretizar pois em 1960, um estudo indicava que os modelos mais compactos seriam o futuro, especialmente no mercado norte-americano.

No entanto, em 1966, o lançamento da gama Volvo 140, traria novas ideias sobre a forma de conseguir combinar prestigio e tamanho compacto.

Jan Wilsgaard, Chief Designer da Volvo de então, resolveu manter o chassis da gama 140 e usar a frente criada para o tal projeto 358 do final dos anos 50. Com o Iron Mark da Volvo em posição proeminente da mesma forma diagonal como no primeiro Volvo de 1927 e à semelhança do que vemos nas estradas hoje em dia.

O chassis do 140 seria também extendido em  10 cm do pára-brisas para a frente. Esta medida foi necessária para criar espaço para o novo motor, denominado de B30, uma unidade com 3 litros de capacidade e 145 cv graças aos dois carburadores Zenith-Stromberg.

Os pormenores eram claramente mais luxuosos que a gama 140, com um tecido grosso de lã nos assentos, tapetes de tecido e o banco traseiro projetado para duas pessoas, com um apoio de braço suspenso no centro.

Após o primeiro ano de produção, foram feitas melhorias no 164 com introdução de estofos em couro, lâmpadas de halogéneo e encostos de cabeça. Nos EUA, o modelo possuía ainda vidros elétricos, teto panorâmico, ar condicionado e vidros escurecidos.

Em Julho de 1969, quando a revista Americana Car and Driver ensaiou o Novo Volvo podia-se ler:

"O Volvo para o qual as pessoas estão a olhar rouba visitantes aos showrooms da Buick, da Oldsmobile e da Mercedes, e isso está a acontecer. Os novos clientes da Volvo são vários tipos de profissionais – doutores, advogados, dentistas… pessoas que têm capacidade para algo diferente."

Um anúncio americano da Volvo estava ligado ao mesmo tema: "O Automóvel de Luxo que mostra que tem mais do que dinheiro".

O Volvo 164 passou por diversas melhorias ao longo do seu ciclo de vida, com a inclusão de algumas características inovadoras como injeção de combustível eletrónica (a partir do modelo de 1972).

A última versão foi o modelo de 1975, e todos os automóveis produzidos nesse ano foram exportados para os Estados Unidos. Nessa altura, o seu sucessor, modelo Volvo 264, já tinha iniciado a sua produção.

5 Factos menos conhecidos sobre o Volvo 164:

1. Houve apenas um Volvo 164 que foi transformado em ambulância.

A Divisão de Veículos Especiais da Volvo tinha um protótipo significativamente mais alto. Apesar de ter sido apenas produzido um destes veículos, seria um precursor de várias ambulâncias que seria criadas mais tarde tendo como base o Volvo 265.

2. A produção do Volvo 164 foi deslocada para Kalmar em 1974.

Os métodos utilizados nesta nova fábrica da Volvo era muito modernos para a altura. Os automóveis deslocavam-se em carrinhos operados por baterias e eram controlados por operadores. Foram constituídas equipas de montagem, que tinham capacidade de rodar em torno de várias tarefas de produção.

3. O protótipo do coupé de luxo Volvo 262C, foi produzido em Itália e baseava-se no 164.

O construtor italiano Coggiola converteu o modelo num coupé de duas portas que era parecido com o modelo de produção.

4. O motor B30 de 6 cilindros do Volvo 164 foi também utilizado em alguns veículos militares da Volvo.

Uma versão marine do motor B30, com três carburadores, foi também produzido pela Volvo Penta.

5. O construtor italiano Zagato tinha em exposição no Salão de Genebra de 1970 o 3000 GTZ sports coupé.

Este protótipo tinha o motor B30 e mecanicamente baseava-se no modelo 164. Existem rumores de que este protótipo único ainda existe

Comentários

Escreva um comentário

Os comentários são moderados